5 mitos sobre os Sistemas de Gestão da Qualidade

Os Sistemas de Gestão de Qualidade foram introduzidos em Portugal em 1949, no entanto, ainda assim, subsistem diversos mitos sobre os mesmos. Neste texto, vamos procurar “desconstruir” algumas das ideias pré-concebidas sobre a Gestão da Qualidade.

#1 “Apenas necessito de um Sistema de Gestão da Qualidade porque os meus clientes assim o exigem”.
É verdade que cada vez mais os clientes exigem aos seus fornecedores a certificação da qualidade, mas isto tem uma razão – significa que a empresa despendeu recursos (tempo, dinheiro) e comprometeu-se em estar alinhada com aquilo que são as melhores práticas internacionais.  É uma forma de o cliente transmitir ao mercado que apenas está disposto a trabalhar com os que procuram ser os melhores.

#2 “Implementar um Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) traz uma carga burocrática significativa”.
Esta mito é bastante comum, mas é importante clarificar que, na sua génese, a o standard mais popular, a ISO 9001, não requer a documentação de nenhum procedimento. No entanto, é absolutamente natural que empresas maiores, com dezenas de departamentos e centenas de pessoas, possuem múltiplos documentos para regular a sua atividade. No entanto, a necessidade desses documentos deriva da operação, não da ISO 9001. O que sucede é que a implementação da norma identifica, muitas vezes, oportunidades de otimizar procedimentos que, consequentemente, se traduzem em novos documentos. Em suma, a documentação de procedimentos está mais associada à maturidade da operação do que propriamente às exigências da certificação.

#3 “Implementar o SGQ é caro
Quantificar os custos da implementação é relativamente linear. Mas já experimentou quantificar os custos de seguir práticas subóptimas? E os custos de ter perdido clientes por não possuir a certificação? Tudo somado, a certificação é um retorno garantido. Além disto, o mercado amadureceu bastante e existem soluções de implementação disponíveis a preços muito competitivos.

#4 “Somos uma empresa pequena/média, não temos a possibilidade de ter uma pessoa 100% alocada à Qualidade”
É absolutamente natural que nas empresas de dimensão menor os recursos assumam diferentes “departamentos”, mas isto não significa que não possam perseguir o objetivo da Qualidade. Existem no mercado soluções de Consultoria de Qualidade em outsourcing que têm como objetivo mantê-lo alinhado com as melhores práticas, ao mesmo tempo que mantém a dimensão da sua estrutura sustentável e alinhada com a sua trajetória de crescimento.

#5 “A certificação é só para grandes empresas”.
Os mitos do “custo” e dos “recursos 100% dedicados” já foram mencionados, e a resposta a este está relacionada. Grandes, pequenas ou médias empresa frequentemente atuam nos mesmos mercados, pelo que têm de garantir serviços e /ou produtos com a mesma qualidade. Além disso, será menos complexo implementar SGQ em empresas mais pequenas, porque há menos pessoas para formar, menos departamentos para alinhar, etc. Em suma, aquilo que à partida aparenta ser uma desvantagem pode-se transformar numa vantagem competitiva.

Se as respostas os estes mitos despertaram o seu interesse, não hesite em contactar-nos.

A Bracing possui uma área de Agilidade das Organizações com experiência em centenas de certificações que poderá dar resposta às suas necessidades.
Marque uma reunião sem compromisso e teremos todo o gosto em demonstrar o valor acrescentado de um sistema de gestão, aplicado especificamente à sua organização.

Mostrar botões
Esconder botões
Scroll to Top